Veja essas 4 formas de fazer grana extra e guardar dinheiro para sua próxima viagem!

Viajar é sem dúvida uma das melhores coisas da vida. Vivo terminando uma viagem com saudades dela e com a cabeça na próxima – e no passa muito devagar para tanta vontade de conhecer coisas novas, pessoas novas, culturas novas.

Mas à medida que vamos criando a nova aventura, o orçamento fica cada vez maior. Principalmente se descobrimos uma novidade imperdível no lugar. Isso pode custar até um dia e uma diária de hotel a mais. Uma viagem que nasceu com 7 dias, de repente está com 10 e – orçamento segue no mesmo ritmo.

Mas uma viagem sempre é algo único, mesmo que não seja a primeira vez. Então, não podemos desperdiçar, não é mesmo?

Viajar sempre exige um bom planejamento prévio, mas vivemos uma situação econômica difícil no Brasil, as perspectivas de melhores tempos para as nossas atividades, para o mercado de trabalho, ainda são remotas.

Então como fazer a própria viagem?

Ou como fazer sem precisar sacrificar todas as outras despesas e sem ter o dinheiro das férias, que só virá mesmo às vésperas de embarcar?

Temos de usar nossos talentos! Pensei nessas 4 formas de fazer grana extra e guardar dinheiro para sua próxima viagem. Uma delas pode ser a sua!

1. Para viajar, que tal desapegar?

Nós sabemos quantas coisas temos em casa e que podem se transformar em dinheiro rapidamente. Muito consumo – e às vezes uma dose de consumismo – e de repente até o espaço de casa não existe mais.

Então por que não desapegar do que não está sendo usado e gerar um dinheiro extra? Existem ótimos sites de venda de novos e usados, como o Mercado Livre, o OLX e o Enjoei (esse é perfeito para venda de roupas, calçados e artigos de decoração e moda), onde podemos vender com segurança – todos oferecem formas de pagamento e de envio.

Alguns cobram comissões que podem valer a pena para aumentar a visibilidade do anúncio – ideal para aquele item mais caro/raro.

Dicas: invistir em ótimas fotos e descrições – estas devem ser as mais fieis possíveis, memo quanto a algum defeito.

Outra opção de venda é criar bazares, que também servem para aquecer a vida social.

Desapegando, além de fazer dinheiro, você coloca a energia das coisas para circular!

2. Para viajar, que tal ser freelancer?

Todas nós temos algumas (ou muitas) habilidades e elas podem nos ajudar a conseguir uma renda extra para a viagem.

Criar artigos para a internet, desenvolver aplicativos, Imposto de Renda, organização pessoal, criar sites e blogs, criar vídeos para campanhas e cursos. Enfim, cada habilidade que dominamos pode ser tranformar em uma fonte de receita temporária.

E até mesmo definitiva, dependendo da disponibilidade que você puder dar. Alguns trabalhos podem ser feitos em home office à noite e em fins de semana.

Você pode se cadastrar em sites especializados em trabalhos de freelancer ou oferecer os serviços em um blog seu ou de terceiros, e nas redes sociais. O importante é usar a criatividade para usar os talentos a favor da sua viagem!

3. Para viajar, que tal economizar?

Vocês pensaram: lá vem ela com o sacrífico maior!

Mas, assim como podemos encontrar coisas que não usamos e podem virar receita, existem espaços nos gastos do dia a dia que podemos eliminar ou reduzir. Isso vira economia – e renda.

Fazendo as contas – cada pessoa é uma situação – dá, por exemplo, para deixar o carro em casa e usar transporte público ou andar a pé. Trocar a academia por esportes ao ar livre. Alugar um quarto vago em casa, ou um imóvel que esteja fechado. Reduzir os almoços e jantares fora de casa.

A palavra-chave aqui é investigar. Com um orçamento de despesas bem detalhado, é possível encontrar alternativas para algumas e transformar gasto em renda extra!

4. Para viajar, que tal vender produtos importados?

Este é um modelo de negócio que anda fazendo muito sucesso – e com razão.

Você pode montar uma loja online para oferecer um portfolio de produtos que vai importar para atender as suas vendas. E até mesmo formar um estoque para vendas imediatas.

Perfumes, cosméticos, artigos de saúde, eletrônicos, roupas e calçados e mais outros itens, se você for mais específica no nicho que quiser atuar. Pode fazer um mix também, mas com o cuidado de ter disponibilidade para cuidar de cada produto, pois cada um tem a sua dinâmica de vendas, urgência, envios e impostos.

Os importados continuam sendo atraentes mesmo com a cotação do dólar. Existem os produtos com qualidade superior e que não existem no país, as novas versões que demoram a ser vendidas aqui, as marcas internacionais que não tem representação no Brasil.

Uma loja online, administrada em home office, tem um custo muito menor quando comparamos com as lojas tradicionais. Por isso, é possivel fazer preços melhores e conquistar clientes.

Mas uma dica valiosa: é importante qualificar-se bem para tirar o melhor proveito. E isto nem é complicado, demorado ou caro. Para aprender tudo sobre importar diferentes produtos, conheça a academia do importador.

E na próxima viagem, você pode trazer amostras de produtos para sentir o mercado e continuar prosperando no seu negócio!

Espero que estas dicas tenham ajudado a sua próxima viagem!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo